Atendimento Online:

Concurso suspenso por apenas uma questão

Concurso de Ilópolis está suspenso, porém, não existem irregularidades apontadas, apenas uma questão


No mês de novembro o Município de Ilópolis realizou concurso Público para provimento de vários cargos. A empresa que realizou as provas foi a Sellector, mesma empresa que aplicou as provas em Arvorezinha, onde, e segundo o Ministério Público, foram apontadas algumas irregularidades no sentido de que algumas perguntas, ou provas, foram aplicadas anteriormente com o mesmo conteúdo em outras cidades, o que caracterizaria em favorecimento para alguns candidatos.
Já para Ilópolis não ouve em momento algum denúncia nesse sentido. Segundo o Prefeito de Ilópolis, Osmar Baldissarelli, o que aconteceu foi um fato corriqueiro de concursos, “Um concursando, utilizando-se de seu direito ao não concordar com uma questão, denunciou o concurso, mas não estamos com nenhum tipo de situação que cause suspeitas em nosso concurso” disse.
Já a Advogada do Município, Sinara Tomasini, ressaltou que “A candidata em questão, denunciou o concurso alegando que o conteúdo programático, na descrição do edital, não constava o conteúdo programático de português e de legislação municipal, e efetivamente fomos analisar o edital e no concurso de nutricionista, tem o conteúdo programático da prova específica e não tem de português e legislação. Além disso, ainda no concurso, ela impugnou duas questões, onde a empresa Sellector julgou o recurso da candidata e apontou como improcedente, com isso, saliento que quanto ao âmbito da prova não questionamos, porém, quanto ao Edital, ela deveria ter denunciado esse fato antes das provas, pois houve muito tempo antes para isso ser feito e não ocorreu em momento algum. Se a candidata estudou o edital ela poderia tranquilamente ter visto o que constava neste, com isso, comunicado a tempo esse fato, impugnando assim o edital e solicitando as mudanças” disse.
Por conta dessa problemática apontada pela candidata, o Promotor de Justiça solicitou a Prefeitura de Ilópolis que se instaure uma sindicância interna para apurar os fatos. Assim, deverão ser apontados três servidores de carreira do município que analisarão os critérios denunciados e saber o futuro do concurso, em especial do cargo de Nutricionista que poderá ser banido dessa edição.
Sinara destaca ainda que “Essa participante do concurso não denunciou nenhuma irregularidade em outros cargos ou do concurso como um todo, ou que houve favorecimento de alguém, não, é uma questão prática, jurídica e legal” disse e concluiu “O Promotor, em sua visão, solicitou que, primeiro abríssemos essa Sindicância, enquanto isso, não ocorre nomeações, o que estamos cumprindo, porém, vamos sim o quanto antes apresentar o resultado da sindicância” finalizou.
O Prefeito Osmar ressalta também que antes de iniciar as nomeações irá apresentar de livre e espontânea vontade o resultado que a sindicância apontou, para assim, dar ainda mais transparência a todo o processo que norteou o concurso público de Ilópolis e garante que, assim que possível, estará iniciando as contratações dos primeiros colocados do concurso. “Não aconteceu nada de mais, nosso concurso foi perfeito, com total lisura, não temos nenhuma irregularidade apontada, nada, então, nos deixa tranqüilo que em breve iniciaremos as contratações” frisou.

Fonte; Jornal Notiserra

Um comentário em “Concurso suspenso por apenas uma questão

  1. No atualidade é idiscutível que o edital é a “Lei” do concurso, logo, as questões devem estar adstritas ao que nele consta, se para o cargo de nutricionista, constava que não haveria questões com conteúdo de português e legislação municipal, e na prova houve, pelo menos no que tange ao cargo de nutricionista deve ser anulado, uma vez que as questões não obedeceram o edital.

    noutro vértice, não faz sentido a alegação da Dra. Tomasini de que a candidata teve tempo de estudar o edital e impugná-lo, antes da prova, pois a candidata não tinha como saber se haveria ou não questões de lingua portuguesa e administração municipal, agora, se essa matéria, que a meu ver, deve fazer parte das questões o concurso e não estavam inseridas no edital, a responsabilidade era da contratante do empresa, aqui a prefeitura para solicitar a correção.
    diante disso, há vício no concurso, portanto passível de anulação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Símbolo RV Digital
Desenvolvido por:
Logomarca RV Digital