Atendimento Online:

Tentativa de Suicídio, muitos casos nos últimos meses

Salitre, Medicação controlada, álcool, veneno e enforcamento, estão entre os itens mais usados por psicóticos

A palavra suicídio, ou tentativa de suicídio, foi utilizada pela primeira vez em 1737 e significa morte intencional, auto-inflingida, isto é, quando a pessoa, por desejo de escapar de uma situação de sofrimento intenso, decide tirar sua própria vida. Quando não é bem sucedida, chama-se de tentativa de suicídio. O que vem ocorrendo com freqüência em Arvorezinha e tem deixado as autoridades médicas em alerta.
De acordo com dados atuais da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 3.000 pessoas por dia, cometem suicídio no mundo, o que significa que a cada 30 segundos uma pessoa se mata. Estima-se que para cada pessoa que consegue se suicidar, 20 ou mais tentam sem sucesso e que a maioria dos mais de 1,1 milhões de suicídios a cada ano poderia ser prevista e evitada.
O suicídio é atualmente uma das três principais causas de morte entre os jovens e adultos de 15 a 34 anos, embora a maioria dos casos aconteça entre pessoas de mais de 60 anos.
Ainda, conforme informações da OMS, a média de suicídios aumentou 60% nos últimos 50 anos, em particular nos países em desenvolvimento. Cada suicídio, ou tentativa, provoca uma devastação emocional entre parentes e amigos, causando um impacto que pode perdurar por muitos anos.
Infelizmente nem toda a pessoa que tenta o suicídio tem um registro oficial feito, com isso, a tentativa de suicídio não tem números oficiais, o que inclusive dificulta o trabalho de auxilio ao paciente, bem como traçar o perfil de um psicótico.
Nos últimos meses são vários casos que se tem notícia, mas por sorte, não houveram registros quanto a concretização da tentativa transformada em suicídio.
Medicação, a mais utilizada nas tentativas.
O que mais chama a atenção é que o maior número de tentativas se faz com o uso de medicação, além disso, também se tem a informação que o número maior de tentativas está entre as mulheres, já os homens, quando atentam contra a própria vida, utilizam de venenos e o campeão é o Salitre, mas já existiram mulheres que também fizeram uso desse composto para tentar o suicídio. Os estudos apontam que o álcool é um ‘acompanhante’ das tentativas, de fato isso acontece também em Arvorezinha
Nos últimos meses praticamente todas as semanas se tem notícias quanto a tentativas de suicídio, inclusive, muitos desses suicidas tem que ser encaminhados a centros de tratamento, passar por cirurgias e existem registros de pessoas que ficarão com seqüelas para o resto de suas vidas, com isso, se tornando um ‘fardo’ para a família.
Com a palavra a psicóloga Cristian Hart Talini
Quando falamos em suicídio, não temos como não nos sentirmos incomodados com tal assunto, pois afinal, a vida é o que de mais precioso temos. Então, como entender que “alguém” pode não querer mais viver? Acontece que as coisas não são tão simples como parecem.
Todos nós temos um instinto de vida e, um de morte, que vivem “lutando” entre si. Acontece que espera-se que o nosso instinto de vida sempre vença, que sempre encontremos, apesar das adversidades, dos problemas, motivos para estarmos buscando viver e lidar com nossas dificuldades. Porém, algumas pessoas, pelos mais diversos motivos, por vezes desistem ou, não encontram forças suficientes para lutar pelas suas vidas. Algumas pessoas demonstram tristeza, tem depressão e falam do seu desejo de morrer, por vezes, não são levados a sério. Outras, não demonstram, simplesmente o fazem, deixando os seus familiares muito confusos, com um misto de sentimentos, de raiva, de culpa, de dor. Porém, o que se deve saber é que o ato do suicídio é um momento de desespero, de perda da esperança, de vazio, talvez até poderíamos dizer de individualidade extrema, pois o sujeito não consegue pensar nos outros, no sofrimento de seus familiares ou no que vai despertar nos outros. Parece que ele vai na busca de um alívio, que não se sabe se vai atingir. O que é necessário ser feito é não deixar de levar a sério os pedidos de socorro. Se alguém ameaçar de se matar, ou tiver uma tentativa de suicídio, esta pessoa precisa ser levada a sério. Ela precisa ser ouvida e auxiliada na busca de motivos para viver. O número de suicídios vem aumentando de uma maneira considerável, não somente no nosso município, mas em nosso estado e as equipes de saúde vem discutindo como intervir junto à comunidade na tentativa de dimunuí-los. Penso que a única maneira de fazê-lo é realmente trabalhar para uma valorização da vida e na sensibilização da comunidade de que pedir ajuda não é vergonhoso, que precisamos nestes momentos difíceis unir as forças na busca do alívio do sofrimento psíquico deste sujeito, então, caso alguém necessite ou precise de um “cuidado especial” procure um profissional da saúde junto aos postos de saúde. E lembrem-se: “Não aceite como verdade que seus problemas não tem solução. Todos tem. Busque ajuda de pessoas confiáveis e capacitadas para resolvê-los.
Viva a vida com amor!Cuide-se!!.
Cristina Hart Talini, Psicóloga.

Fonte; Jornal Notiserra

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Símbolo RV Digital
Desenvolvido por:
Logomarca RV Digital